sexta-feira, 11 de maio de 2012

Reflexão para o 6º domingo da Páscoa - 13 de maio de 2012


     É muito bonito e significativo que o dia das mães caia, neste ano, neste sexto domingo da Páscoa. Nós frequentamos tantas academias no mundo de hoje... talvez nem todos frequentem a academia do amor, assim denominada por São Francisco de Sales para referir-se ao amor como autodoação. Creio que nossas mães fizeram e fazem muito autodoação. Muitas delas frequentam também a academia do Calvário, de onde brota, segundo Sales, o verdadeiro amor. Parabéns a todas as mães!
     Gostaria de falar um pouco também da mãe de São Francisco de Sales. Chamava-se Francisca. Uma "verdadeira dama" na opinião de Santa Joana de Chantal, que a conheceu. Entre ela e Francisco desenvolveu-se uma intimidade excepcional. Ela tendia a mimar Francisco. Porém, velou pela sua educação religiosa, ensinou as orações, o levava à Igreja. Dizem que Francisco se converteu "em ídolo de sua mãe". Dizem também que as primeiras palavras que ele disse foram estas: "Meu Deus e minha mãe me amam muito". Mais tarde, Francisco a chamará de "minha caríssima e ótima mãe". Quando ele como bispo dava aula de catecismo para as crianças, sua mãe ia ouví-lo. Um dia ele disse para ela: "mãe, não precisa vir ao catecismo. Tudo o que eu falo para as crianças, ouvi, quando pequeno, de seus lábios". E ela respondeu: "Só que naquela época eu te dizia as palavras, ensinava o catecismo sem compreender o significado. Agora, escutando tuas explicações, entendo tudo".

Destaque: "Amai-vos uns aos outros assim como Eu vos amei."

Perspectiva Salesiana

     Jesus nos ensinou um tipo de amor que é muito diferente do amor que experimentamos comumente no mundo. Através de suas palavras e de suas obras, Ele nos mostrou o amor da Trindade. Este amor é um amor que se autossacrifica, um amor tão focado nos outros que o eu é esquecido. No grande mistério da Páscoa vemos Jesus tão envolvido no amor do Pai que Ele voluntariamente sacrificou seu próprio ser por este amor: seu amor pela vontade do Pai era tudo o que importava.
     São Francisco de Sales é um mestre espiritual na escola deste amor. Sua grande obra, o Tratado do Amor de Deus mostra a viagem ao coração do amor que é a própria Trindade. No final deste trabalho de dois volumes, Francisco chega ao calvário. Para Francisco, esta é a verdadeira academia do amor: quando a vontade humana se rende diante da vontade do Pai num ato de autodoação, o amor floresce. Nada acende tão forte o coração humano como este amor desinteressado.
     Francisco de Sales escreveu: "A morte e a Paixão de nosso Senhor é o mais doce, o motivo mais poderoso que pode animar nossos corações nesta vida mortal... os filhos da cruz se glorificam nisto, e este é o paradoxo que o mundo não compreende: da morte que devora todas as coisas, vem o alimento da nossa consolação, e da força da morte sobre todas as coisas, saiu o doce mel do nosso amor. Ó Jesus, meu Salvador! Como a vossa morte é amável, já que é o soberano efeito do vosso amor". (TAD, parte 12, cap. 13)
     São Francisco de Sales e Santa Joana de Chantal são conhecidos por desenvolver uma filosofia da vida tão otimista, gentil, humilde e afetuosa porque centraram-na no Calvário. Como podem a amizade e a devoção brotar desta fonte?  No entanto, é isto que celebramos, precisamente, no dia de hoje. A Páscoa, a Ressurreição, a nova vida prometida por Deus serão nossas quando seguirmos este caminho. Sempre que passarmos pelo Calvário, Jesus nos mostrará que o objeto deste amor sacrificado será poder partilhar a vida na própria Trindade. Esta vida, o destino verdadeiro do espírito humano, é o amor que nunca termina.
     Nós não precisamos ir muito longe para encontrarmos a oportunidade de doar este amor sacrifício. São Francisco de Sales sabia muito bem que estas oportunidades estão presentes na caminhada e em cada situação da vida. Estas oportunidades vem em tamanhos pequenos, médios e grandes. O desejo diário e a habilidade para acolhê-las é a chave para a santidade. Escutemos Jesus: "Eu vos disse isso para que a minha alegria esteja em vós e a vossa alegria seja plena".

P. Michael S. Murray, OSFS - Diretor do Centro Espiritual de Sales
Tradução e adaptação - P. Tarcizio Paulo Odelli - SDB

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário