sexta-feira, 9 de março de 2012

Reflexão Salesiana para o terceiro domingo da quaresma - 11 de março de 2012

Cartoon Vendilhões do Templo [ Publicado em Mero Cristianismo] Trabalho do designer Diego D. Carrion 

A lei de Deus foi deixada para promover a vida e a religião não pode, de forma nenhuma, explorar as pessoas. Promovendo a vida, promovemos a saúde, tanto espiritual como material. Este é o tema deste domingo. Achei interessante publicar esta imagem, atualizando... 

Perspectiva Salesiana

Destaque: "Eu sou o Senhor teu Deus que te tirou do Egito, da casa da escravidão."

Os dez mandamentos tinham dois objetivos na vida dos Israelitas: recordavam para eles a experiência da escravidão passada nas mãos dos Egípcios e lhes ofereciam preceitos para evitar a escravidão do pecado no futuro e em todas as suas formas.
Jesus nos trouxe um novo mandamento: "Amai-vos uns aos outros assim como eu vos amei". Sem anular a lei e os profetas, Jesus manda amar-nos uns aos outros e mostra claramente que não devemos cumprir os mandamentos somente por cumprir. Sabemos que Jesus criticava os Escribas e Fariseus por irritar os outros com a interpretação servil que eles deram a lei de Moisés.
Francisco de Sales entendia que mesmo que observemos retamente os mandamentos e conselhos de Deus, sem exceção, isto não é suficiente para quem deseja seguir o exemplo de Jesus. Fomos chamados a viver a vida espiritual.
Francisco explicou: "Vida espiritual é esta agilidade espiritual, esta vivacidade que nos permite fazer o que é correto com entusiasmo e amor". A perfeição cristã nos desafia a cumprir os mandamentos e os conselhos de Deus de um modo que promovam "uma alegria e um entusiasmo para a realização de atos caritativos."
Resumindo, é este modo alegre, entusiasta e vivaz que nos impele a fazer bem e que nos permite "cumprir a lei e os profetas" e tronar realidade o novo mandamento de "amar-nos uns aos outros" na vida dos outros.
Muitas pessoas "deixam de fazer certas coisas na quaresma". Este é um tempo perfeito para libertar-nos da escravidão de fazer o mínimo necessário! Este é o tempo perfeito para deixar atitudes e afetos que não nos deixam fazer o bem de forma positiva, alegre e entusiasta! Este é o tempo perfeito para lembrar-nos novamente que precisamos adotar a liberdade dos filhos e filhas de Deus, vivendo, cada dia, a nova lei do amor de Cristo.
Seja santo! Tenha saúde! Seja feliz, para o bem de Deus, o teu e dos outros! Fazer o bem não deve converter-se numa carga para nós. Fazer o bem é uma forma de progredirmos! 

Texto: Padre Michael S. Murray, OSFS - Diretor do Centro Espiritual de Sales
Tradução: Tarcizio Paulo Odelli - SDB
 

Dos sermões de São Francisco de Sales, para a quaresma, fazemos uma síntese daquilo que dizia naquele tempo e que serve para nós hoje.

São Francisco de Sales falou muitas vezes que Jesus nos chamou para nos libertar-nos da escravidão do pecado e comprometer-nos a uma vida de santidade que nos conduz à eterna felicidade.
Muitas pessoas aspiram alcançar a santidade, mas poucas a conseguem porque não caminham como deveriam, fervorosamente, cheios de serenidade, cuidadosamente e seguros de si mesmos. Isto quer dizer que devemos depender mais da Divina Bondade e Providência do que de nós mesmos e de nossas boas obras. Devemos ser completamente fieis, porém, sem deixar-nos levar pela ansiedade nem pela impaciência.
Deus quer que façamos tudo o que estiver ao nosso alcance. Isto significa que Deus deseja que usemos os meios comuns e corriqueiros para alcançar a santidade. Devemos usar os dons que nos foram dados de acordo com a nossa vocação e manter-nos em paz naquilo que se refere ao resto. Se isso falhar, sabemos que Deus jamais irá deixar-nos desamparados, enquanto estivermos dispostos a cumprir a vontade divina. Embarcamos nesta travessia tendo a Deus como nosso guia e por isso devemos confiar plenamente Nele que está sempre atento para prover tudo aquilo que precisarmos. Portanto, quando a ajuda humana falhar, a providência especial de Deus assumirá o comando e se encarregará de cada um de nós. Deus prefere fazer milagres para não nos deixar desamparados, seja espiritual ou materialmente, a todos os que confiam totalmente na Providência de Deus.
Muitas vezes achamos que este sentimento de agradar a Deus não continuará ao longo da nossa vida. Mesmo assim, não nos preocupemos. É bom mostrar sempre nossa boa vontade, continuamente. Coloquemo-nos em suas mãos. Coloquemos nossas preocupações e Ele nos renovará sempre que necessário. Uma vez terminada esta vida mortal, não teremos mais razão para sentir temos, já que estaremos num lugar seguro.
(L. Fiorelli, ed., Sermões para a Quaresma de São Francisco de Sales.) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário